“O ano passado passou tão apressado, eu sei que o povo corre, corre, corre pra nada…”

Este é o trecho de uma musica da Rita Lee que eu gosto muito chamada Corre, corre, corre.

E realmente o tempo está correndo, e o ser humano correndo atrás.

Observe que 2018 acabou num piscar de olhos e quando ele chegou estávamos com esperança renovada, novos projetos para colocar em ação, oportunidade de reconstruirmos uma vida nova, enfim novo ciclo.

Ele se foi e 2019 chegou com tudo.

Como você se sente neste momento? Alegre, realizada(o), conseguiu cumprir suas metas, 2018 foi um ano bom? Ou se sente cansada(o), exausto, com aquela sensação de que gastou muita energia e não realizou nem a metade do que desejava?

O tempo passou voando, e a correria do dia a dia às vezes faz com que nos sintamos impotentes por não conseguirmos dar conta de tudo.

Calma, calma…desacelere!! Este é o meu conselho.

Desacelerar é condição essencial para que possamos cuidar da nossa saúde mental, esta preciosidade que temos. Às vezes o menos é mais, mas deve ser uma atitude deliberada para você possa olhar para si, curtir-se, permitir-se.

  • Há quanto tempo faz que você não curte momentos de tranquilidade entre familiares, amigos?
  • Há quanto tempo você não toma um banho demorado, prestando atenção ao toque da água no seu corpo?
  • Há quanto tempo você não brinca com os seus filhos?
  • Há quanto tempo não cozinha sua comida favorita?
  • Há quanto tempo não dorme até mais tarde nos finais de semana?
  • Há quanto tempo você não vai ao parque dar uma caminhada?
  • Há quanto tempo você não tira aquela soneca numa tarde chuvosa?
  • Há quanto tempo…

Quanto tempo mais você vai levar para tirar um tempo para você?

Eu sei que cada um tem um ritmo diferente de vida, uns mais intensos, outros nem tanto. Temos muitos compromissos, responsabilidades, sabemos que a felicidade não é uma constante, mas podemos nos proporcionar experiências positivas.

Segundo Tal Ben-Shahar, professor da disciplina sobre Felicidade em Harvard e escritor em Psicologia Positiva sugere que a baseda saúde mental é permitir-se ser humano, aceite as experiências dolorosas bem como as alegres. Abrace as suas emoções, não apenas as positivas como alegria ou entusiasmo, mas também emoções como raiva, medo ou tristeza. Não tentar rejeitar ou fugir destas emoções.

Esperar ser feliz em todos os momentos é algo irrealista e definitivamente impossível – o que apenas irá conduzi a desilusão e maior infelicidade. O perfeccionismo não traz felicidade.

Todo o ser humano comete erros e tem gestos negativos; por conseguinte o fato de se permitir ser humano(a) implica viver numa realidade, ao mesmo tempo que encontra a sua própria beleza na dor e na alegria.

Outra dica que ele nos ensina é cultive relações. “Uma relação íntima e próxima é o primeiro indicador do nosso bem-estar; por conseguinte, passar tempo de qualidade com a pessoa importante da sua vida fará uma grande diferença na sua satisfação geral pela vida e sentimentos de felicidade. Cultivar relações significa igualmente investimento no tempo e energia para relações mais próximas e positivamente orientadas; deixe partir a relação que lhe traz nada mas apenas pontos negativos à sua vida.”

E a última dica para fechar é Simplifique a sua vida(faça menos em vez de mais, ocupação do tempo) – Aqui nesta sugestão do Tal Bem-Shahar confirma o que falei no inicio do texto – Desacelere.

“A sociedade moderna promove o conceito de quanto mais melhor ou quanto mais rápido melhor, o que efetivamente não traz felicidade. Não viva com o sentimento esmagador de que está a perder o seu tempo; se for esta a sua atitude, será impossível gozar e dedicar-se completamente a qualquer atividade que o(a) faça feliz.”

Então que tal a partir deste momento refletir que desacelerar é para o nosso bem e começar a pensar formas de aproveitarmos o nosso tempo com atitudes mais positivas?

Lembre-se que cuidar de si é melhor maneira de continuarmos cuidando de quem amamos.