Adolescência, que caminho é esse?

Ao sair da infância rumo à fase adulta é inevitável passar pela adolescência, ou seja, trilhar um caminho novo e desafiador. Costumo comparar a adolescência a uma ponte pênsil que o sujeito precisa atravessar, deixando seu mundo infantil em busca de um mundo de responsabilidades. A maneira como você lida com essa passagem refletirá diretamente em seu ser, considerando isso, quanto mais conhecer a si mesmo e ao caminho que precisa trilhar, mais capacitado estará para atravessá-lo de maneira saudável e significativa.

Você deixa um mundo de brincadeiras, um mundo de “faz de contas” e entra num mundo repleto de dúvidas, inquietações e inseguranças. Um caminho novo, nunca antes trilhado, que se apresenta como uma ponte pênsil que balança conforme você avança, e parece segura somente se você parar ou chegar do outro lado. O problema, é que outras pessoas também estão atravessando com você, e conforme elas se movimentam, você também balança. Esse é o jogo da adolescência, desejado e ameaçador, inseguro e deslumbrante, preparado para treinar seu equilíbrio e determinação, até que chegue do outro lado.

Por conta dessa instabilidade, esse caminho pode gerar irritabilidade, insegurança, medo, raiva e até desânimo. Mas, por outro lado, a novidade também é atrativa e pode gerar empolgação, entusiasmo e otimismo.

Você é capaz de vislumbrar o quanto esse caminho pode ser admirável e ao mesmo tempo assustador?

Sim …. Uma ponte pênsil lhe leva ao outro lado, o lado do desconhecido, do desejado. Embora seja necessário ter coragem para atravessá-la, é preciso determinação para não parar no meio do caminho, e por vezes, a ajuda de alguém que já passou por ali, com experiência para lhe instruir. Nesse caso, aconselho que você tenha um adulto de confiança por perto, para lhe ensinar sobre o equilíbrio necessário para atravessá-la.

Em alguns momentos, passar pela ponte pode lhe parecer tão difícil que pensará em retroceder, voltar ao início, agindo como criança em busca da segurança em terra firme, fornecida pelos braços dos seus cuidadores. Em outras ocasiões, poderá sentir-se cansado das oscilações emocionais e desejará correr apressadamente para o outro lado, queimando assim, as etapas de seu desenvolvimento.

Certamente eu não disse que seria fácil, mas quero lhe dar uma boa notícia: a sua travessia, chamada adolescência, pode ser uma das melhores fases da sua vida! Quer saber como? Vem comigo, que vou lhe ensinar!

Primeiramente você precisa aprender a olhar e viver sua adolescência positivamente!! Mas, como?

A Psicologia Positiva está aqui para lhe dar todas as orientações, mas afinal o que é Psicologia Positiva?  Psicologia Positiva é um movimento científico, recente dentro da ciência psicológica que tem um olhar aberto e apreciativo dos potenciais, motivações e capacidades humanas. Que se dedica a estudar as emoções positivas e o bem-estar subjetivo dos indivíduos. Sendo assim, a Psicologia Positiva baseada em estudos científicos comprova que quanto mais contato você tiver com emoções positivas na adolescência, mais prazeroso e significativo esse trajeto será, pois você se tornará mais engajado e esperançoso.

A “espinha dorsal” da Psicologia Positiva são as forças de caráter. Portanto, é determinante que você descubra suas forças e as cultive, pois elas são as características/capacidades positivas enriquecedoras, que aumentam o bem-estar, promovem resiliência, melhoram os relacionamentos e criam sólidas culturas de apoio. Os autores classificam as forças de caráter em 24, e são elas:  criatividade, curiosidade, discernimento, amor ao aprendizado, perspectiva, bravura, perseverança, honestidade, entusiasmo, amor, bondade, inteligência social, trabalho em equipe, imparcialidade, liderança, perdão, humildade, prudência, autocontrole, apreciação da beleza, gratidão, esperança, humor e espiritualidade.

Existe um único teste que você pode realizar para identificar suas forças de caráter, é o Questionário VIA, ele é gratuito, on-line, validado psicometricamente e está disponível em: https://www.viacharacter.org . Você levará em torno de trinta minutos para respondê-lo e o resultado será enviado por e-mail.  A partir do resultado, observe as cinco primeiras forças e responda a seguinte pergunta: “Qual dessas forças mais altas é a mais central para quem você é, e lhe define como pessoa? ”  A sua resposta definirá a sua principal força, utilize-a de maneira nova e diferente a cada dia.

Veja alguns exemplos, se uma de suas principais forças for o humor, leve as pessoas a rirem de suas piadas, abra sorrisos com sua maneira brincalhona de ser, ou seja, cultive uma atitude divertida e um senso de descontração. Já se for a bondade, divida seu lanche com seu colega, passe em um hospital ou asilo e ofereça uma visita a alguém solitário. Ou ainda, se uma de suas forças for a curiosidade, faça um caminho novo para casa e explore uma nova área da vizinhança.

Estudos comprovam que pessoas que cultivam suas forças pessoais aumentam sua proteção contra doenças mentais, como ansiedade e depressão. As forças lhe ajudarão a ter um olhar positivo para a vida, aumentando sua auto eficácia e confiança, o que será indispensável para atravessar a ponte pênsil da adolescência com segurança e muita satisfação. Espero que sua travessia seja um desafio positivo, que sua adolescência seja proveitosa e enriquecedora, mesmo balanceando um pouco, lembre-se, o objetivo final é chegar do outro lado, não perca o foco!

Janaina Tomazzoni Gobatto

Psicóloga - CRP 07/26967

Psicóloga Clínica com ênfase em processos de saúde, esposa e mãe de três filhos. Atua no atendimento clínico infantil, de adolescentes e adultos com base na Psicologia Humanista Existencial e Psicologia Positiva na cidade de Caxias do Sul/RS.

  • : janagobatto@hotmail.com

Gostou?! Ajude-nos a compartilhar...

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print

Leia também...

Faça seu comentário