Amar-se para ser feliz

Tu acreditas que teu desempenho como ser humano, como profissional, está aquém de qualquer critério mínimo de razoabilidade?

Pois saibas que não estás sozinho nesta trajetória chamada vida. Várias são as razoáveis apresentadas para que isto ocorra, contudo não se pode deixar de considerar a leitura que tu fazes da tua própria história.

Certamente tu buscas uma vida com relacionamentos positivos, que traga sentido e te faças sentir-se realizado, feliz, que te faças ver sentido na vida, que te faças sentir-se satisfeito com tua própria existência; há momentos em que vê esta caminhada como inócua, sem sentido como que andando sem rumo.

Teu grupo social, teu trabalho, teus relacionamentos já não se mostram positivos, muito pelo contrário, atestam toda tua baixa autoestima e a ausência de amor-próprio, desenterram sentimentos de incompetência que já haviam sido guardados no passado, te fazem sentir que a vida não vale ser vivida.

Tua depressão é visível, tua aparência mal cuidada e descuidada retratam teu cansaço por tentar sobreviver a saga da vida, já não acredita ser possível sair desta situação contudo, ainda há dentro de ti um sopro de força que te conduz a buscar terapia. Ah, que busca difícil tu enfrentas até decidires buscar ajuda.

 

Num movimento, por várias vezes ensaiado, agenda a tua sessão e começa a difícil tarefa de reescrever tua própria história, auxiliada por um psicólogo. Mudar teu jeito de ver tuas necessidades, teus afetos, tuas relações de trabalho, diversão, dentre outras, chega te parecer tarefa impossível. A partir de uma reconstrução de cada uma dessas áreas da tua vida, tua definição de felicidade vai, paulatinamente, sendo transformada.

Tua visão do que e como ser feliz deixa de estar atrelada ao que é bom e importante para os outros, estar satisfeita com a própria vida passa a ser regra; a priori isto pode lhe parecer egoísmo, depois tu compreendes que se estais bem consigo, consegue estar bem com os demais e, teu conceito de felicidade e bem-estar começa a ser visto a partir de si mesmo.

Com o engajamento nestes moldes, tu modificas o ponto de partida de tua caminhada existencial, agora sabes que todo percurso deve partir de ti, tu és o marco zero de toda tua existência e esta só terá sentido em assim sendo. Tu descobres que a real felicidade é definida pela tua satisfação de vida, satisfação esta com tua própria vida; buscar ser bom, ter bom humor, ser íntegro, por mais difícil que seja, te trará sensação de bem-estar, de saberdes existindo não como uma sombra daqueles que te cercam, mas sim como um sujeito de si, indivíduo único em suas características, em suas forças, em suas virtudes.

Ao conscientizar-se único, haverá melhor relação com tuas emoções positivas e tudo que te cerca receberá benefícios deste novo olhar que terás de ti .

Tu existes como um ser total; teu pensar, teu sentir, a forma com que tu lidas com tuas emoções, teu comprometimento com tudo que tens estabelecido como desejos, sonhos, metas a serem alcançadas; a forma com que lidas com teus relacionamentos, sejam pessoais  ou profissionais, são capazes de definir teu nível de bem-estar e teu amor-próprio, estes não devem existir somente dentro de ti, devem ser retratados em tudo que fizeres, juntos são a  combinação de ouro para uma vida feliz. 

Teresa Cristina Oliveira

Psicóloga - CRP 09-594

Formada pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUCGO) em 1984; Especialista em Teoria e Clínica Psicanalítica pela Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC-SP), Especialista em Avaliação Psicológica (UNIP), pós graduação em Psicologia Comportamental, Psicologia Positiva, Capacitação em Terapia dos Esquemas, palestrante e estudiosa do comportamento humano.

  • lltcelder@gmail.com

Gostou?! Ajude-nos a compartilhar...

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print

Leia também...

Faça seu comentário