O Que a Psicologia Positiva Nos Diz Sobre a Esperança?

Esperança.

Dizem que a esperança é a última que morre.

Na verdade é ela que nos move e nos mantém vivos.

Sabemos que ao se aproximar do fim de ano ficamos envolvidos com festas, promessas, projetos, metas e eis que surge a esperança de que o novo ano seja melhor do que aquele que está se despedindo.

No entanto é fato que nem todo mundo teve um bom ano!

Talvez tenha sido um ano de algumas experiências não tão prazerosas, talvez você tenha lidado com situações bem complicadas, tais como: doenças, perdas, relacionamentos desfeitos, desemprego, etc.

Mas por outro lado você pode ter vivenciado e desfrutado de momentos bons, de algumas conquistas e realizações.

Assim é a vida, experimentamos ora emoções positivas, ora emoções negativas.

Mas se você prestar atenção há dois grupos distintos de pessoas que veem a esperança sob perspectivas diferentes:

  • O primeiro considerando o contexto fim de ano tem a esperança de que o ano vindouro seja melhor que o passado, fica à espera de…
  • Mas há quem veja perceba a esperança como uma força propulsora, que anima e estimula constantemente, que faz seguir em frente e nos faz acreditar que é possível realizarmos nossas metas e atingir nossos objetivos.

Essa segunda forma é que se encaixa com a Psicologia Positiva.

Ainda que talvez não seja tão fácil para muitos, mas possível, no processo de esperança existe:

  • Desejo;
  • Foco;
  • Planejamento;
  • Dedicação;
  • Esforço e muita ação.

Sujeitos com altos índices de esperança, segundo pesquisas, sugerem:

  • Melhores médias nas notas dos alunos;
  • Excelente desempenho no esporte;
  • Maior nível de felicidade, satisfação;
  • Mais experiência de emoções positivas em suas vidas.

Destacam ainda que a esperança não é geneticamente determinada, mas sim uma forma deliberada de pensar.

esperança
Esperança.

E quando aprendida contagia e pode ser compartilhada com mais pessoas.

Pode e deve ser desenvolvida a fim de oportunizar cada vez mais um aumento desses índices, e apontam possibilidades técnicas para isso (Snyder & Lopez, 2009).

Segundo a Teoria da Esperança de Snyder(1994) o conceito de esperança envolve a percepção de que podemos conquistar metas ou resultados desejados.

Podemos dizer que a maior contribuição da Teoria da Esperança de Snyder é salientar o aspecto cognitivo, ou seja, o foco no processo de crenças e pensamentos envolvidos na esperança.

O aspecto emocional é contemplado paralelamente, a esperança contribui naturalmente para o fluxo de emoções positivas, de bem-estar e de felicidade.

Nesta teoria ele apresenta três elementos importantes no desenvolvimento da esperança: metas, caminhos ou rotas e motivação. esperança

Partindo do pressuposto de que metas são direcionadas a objetivos, estes podem ser de curto, médio ou longo prazo, mas é preciso ter um valor pessoal suficiente para ocupar o pensamento consciente.

Da mesma forma que as metas, ou seja, o passo a passo tem quer alcançável e realista.

No campo dos caminhos/rotas é a disposição cognitiva para criar planos e rotas para “chegar lá”.

Durante este caminho uma pergunta que surge com frequência é “quais são as alternativas e recursos que possuo”?

A motivação acontece quando a pessoa sente que é a capaz de atuar com eficácia e confiança.

esperança
Motivação.

É o componente motivacional na teoria esperança.

É a percepção pessoal de que temos capacidade para atuar nos caminhos ou percursos escolhidos e atingir os objetivos desejados. 

Está expresso nos pensamentos e crenças a respeito da própria capacidade de agir em uma direção, como por exemplo: “eu sou capaz de fazer isso”.

O nível de esperança de uma pessoa pode nos dizer como anda o seu otimismo, autocontrole, criatividade, competência social, habilidade de solucionar questões, sua competitividade, resiliência, autoestima, afetividade, ansiedade, sucessos e fracasso; assim podemos o quanto você está investindo para promover alguma mudança na sua vida.

Como diz o filósofo Mário Sergio Cortella 

“A coisa mais importante na vida, quando não temos nenhuma outra coisa é a esperança, mas tem que ser a esperança do verbo esperançar, que significa ir atrás, buscar e não desistir, e não a esperança do verbo esperar, essa não é esperança, e sim espera.”

Então agora você já sabe que é possível desenvolver a esperança, que ela traz benefícios, exige esforço e que os desafios são diversos, mas o mais importante é que vale a pena este investimento, pois não existe nada mais importante do que a gente se sentir bem.

Pense nisso.

Cláudia Maria Pedroso Dias

Psicóloga Clínica - CRP 07/20397

Pós graduanda em Psicologia Positiva pela PUCRS, idealizadora do NAPPEM – Núcleo de Aplicação da Psicologia Positiva e Educação Emocional, palestrante, escritora, empreendedora digital, criadora do curso online Psicologia Positiva na Prática. Uma pessoa de bem com a vida, alegre, uma apaixonada por desenvolver e empoderar pessoas. 

  • claudia@nappem.com.br

Gostou?! Ajude-nos a compartilhar...

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print

Leia também...

Faça seu comentário

WhatsApp chat